Poesia Cinematográfica;

Tenho a impressão de que certos filmes são pequenas poesias cinematográficas. É como se cada enquadramento, diálogo ou jogo de luzes fosse um verso, rima e melodia. Uma metáfora de uma singela homenagem, silenciosa e nas entrelinhas. É como se o filme eternizasse o seu assunto, tornando-o imortal. Hoje eu assisti Cinema Paradiso pela primeira vez. Já havia ouvido falar muito bem dessa obra-prima italiana, premiada por um Oscar, dirigido por Giuseppe Tornatore, de 1988. O filme é uma homenagem ao próprio cinema, contando a sua história através de personagens singelos e consistentes e a história de um cinema, no interior da Itália. Sem falar na trilha sonora emocionante de Ennio Morricone. A intenção do diretor Giuseppe Tornatore com este filme era a de que ele fosse um obituário para as salas tradicionais de cinema, que, hoje em dia, já não são mais como eram antes. Isso para não falar ainda na pipoca…

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s