algum tipo de sinceridade;

acho que preciso adquirir um pouco de maldade. alguém sabe aonde posso comprar? já me disseram isso uma vez: “você precisa aprender a dizer ‘não'” ou “você precisa parar de colocar os outros em primeiro lugar, isso te coloca, necessariamente, em segundo. ou terceiro” ou até “você devia mandar essa pessoa para pqp, isso sim!”. eu não entendia muito bem o que era isso mas esses conselhos passam a fazer sentido para mim dia após dia e em situações que eu jamais imaginaria que haveria maldade. sei lá, acho que sou boba mesmo. gosto demais das pessoas e as quero por perto, aceitando os olhares maldosos como se fossem pequenos deslizes. lá dentro fica uma pontada de angústia que prefiro escondê-la em sorrisos sinceros, porém decepcionados. sabe quando você olha para uma pessoa que já foi tão querida e na lembrança vêm momentos inesquecíveis os quais você esteve genuinamente feliz e, ao mesmo tempo, momentos que na época você preferiu ignorar mas que foram verdadeiras rasteiras? pois é. acho que o ser humano é uma coisa muito esquisita – me incluo nessa, claro – e mesmo assim é fascinante. e por isso tenho me acostumado a viver cada vez mais comigo mesma. peguei o costume de carregar um potinho de sal grosso toda vez que ponho o pé para fora de casa e tomar um banho longo frio por semana para poder afastar o que não é bem vindo: enquanto não me acostumo com essa maldade toda, uso de técnicas milenares para tentar manter bem longe o que pode me fazer mal. ninguém me contou que um dia eu haveria de aprender a lidar com sentimentos humanamente tão poluídos, mas o meu maior desafio é aprender o que fazer com eles, sem deixar me contaminar. ainda não sei o quão possível isso é, mas o futuro só pertence a mim e quero ser eu mesma a decidir o que há por vir. quero me vestir de boas palavras e me aproximar do que for sincero. e me afastar do que – e de quem – só me faz andar para trás.

espero provar, para mim mesma, que ainda existe a tal luz no fim do túnel e me surpreender de forma positiva com quem só tem decepcionado negativamente. me seguro para não ser integralmente sincera com quem usaria essa veracidade para me cortar os pulsos, a garganta e os olhos.

 

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

3 Respostas para “algum tipo de sinceridade;

  1. brunopulis

    As vezes me pego na msma situação e logo percebo que se doar demais pelas pessoas é perigoso.

    Penso na maioria das vezes que nasci na epoca errada, acredito ainda em muita coisa que ngm mais acredita.

    Mas aprendi com o tempo a doar pra cada um aquilo que ele merece e poucos tem verdadeiramente toda minha sinceridade…

    :)

  2. Naty

    Ixiiiii sorella…..
    Se pudesse te dava umas aulinhas sobre falsidades e maldades humanas, mas e’ impossível! Isso a gente aprende e’ com a vida mesmo….. Enquanto isso, tem um chaveiro de olho turco pra vc no meu quarto vindo diretamente de Istambul e qdo precisar, deito com vc na sua cama e te aperto ate te proteger do mundo (eu amo te apertar)! Amo vc mais que tudo!
    Ps: quero um post seu com os tags: casamento, irma, amor, saudade, distancia….. Arfff, e choro só de pensar q vamos ficar longe e nao vou poder te apertar!!!!

  3. dehfive

    (já disse que eu amo minha irmã?)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s