Arquivo do mês: junho 2015

novos passos.

não escrevo nada por aqui desde outubro do ano passado, em que publiquei um texto que havia escrito para a minha mãe, nos seus últimos dias de vida. arrisco a dizer que foi mais ou menos naquela época que deixei de lado as palavras, como uma maneira de tentar me dar um tempo. de tentar não colocar o dedo na ferida. de tentar me ocupar com todas as formas possíveis de ocupações para evitar qualquer pensamento mais profundo. não é que desejei me tornar mais “rasa”. é só que resolvi dar o espaço necessário para que as feridas se cicatrizem. é tipo colocar o band-aid no machucado para evitar ficar vendo o nosso sistema biológico agir – evitar aquela vontade de arrancar a casquinha.

o tempo passou e posso dizer, sem nenhum medo que ainda não passou a dor, o medo e a vontade de arrancar a casquinha. ainda não passou a vontade de ligar diariamente para a minha mãe, a esperança de chegar em casa e encontrá-la e a certeza de que, ao acordar pela manhã, vou encontrá-la no quarto ao lado. mais do que isso, não quero que jamais passe a sensação de sua intensa presença em todos os momentos.

mas escolhi hoje, dia 15 de junho, para dizer que, de uma forma ou de outra, estou de volta. decidi voltar a escrever e a descrever os meus sentimentos mais humanos e comuns. após pensar muito a respeito e à ensaiar algumas palavras bobas, percebi que já era a hora de dedicar um tempinho que fosse ao blog. mais que isso, decidi que talvez seja a hora de amadurecer a forma de escrever.

ao mesmo tempo, decidi tomar outros rumos na minha vida profissional e prometo, em breve, contar mais sobre amadurecimentos. e que o tempo seja carinhoso e paciente com quem está reaprendendo a andar.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized