os textos que não terminei;

o meu pensamento funciona em forma de textos que nunca escrevi. sleciono assuntos, tags e personagens – são textos inexistentes. textos que nunca saem do rascunho – ou da pasta draft daqui do wordpress. acho que se morresse famosa por qualquer motivo idiota (todo mundo hoje tem seus 15 minutos de fama, ou até um pouco mais, infelizmente) e encontrassem esses rascunhos, eu perderia todo o meu brilho em duas linhas. são só imagens traduzidas em palavras e metáforas, semióticamente falando. é tudo aquilo que vi e interpretei de uma forma literalmente (mal) escrita. julgamentos muitas vezes injustos, insuficientes ou, até mesmo, inocentes sob questões de uma vida toda. ou então quando insisto em transformar em um milhão de palavras vazias uma simples decisão por um transporte público ou a escolha pelo chocolate quente, ao invés do café. eu também já escrevi sobre o fato de mexirica na Itália ter o nome de clementine – e eu acho isso lindo.

qualquer coisa vira texto na minha cabeça; e ali mesmo ele se perde em meio de contas, imagens e lista de compras. um dia desses comecei a escrever sobre um amigo que conheci em Budapeste e que me fez mudar completamente a minha idéia de família. ele me fez lembrar do meu pai de um jeito que eu não o conheci – jovem, recém casado com a minha mãe, cheio de planos e pequenas filhas para criar. lembrei do que eu nunca vi e não pude me imaginar mais correta. outro dia também comecei a escrever sobre as mil coisas completamente simples que me encantam. pequenas coisas que me fazem dormir sonhando e acordar sorrindo ao saber que a realidade é, muitas vezes, encantadora. aí escrevi sobre o fim que se aproxima, mas esse eu não consegui terminar por ter quase me afogado em lágrimas – achei melhor deixar para outra hora, ou até deixar para lá. o quanto mudei; o quanto sou mais feliz – em termo de estado permanente, a pesar dos pesares -; o quanto me orgulho da minha conquista pessoal e a dos meus amigos que estão por perto; sobre a decisão de perdoar, de me distanciar (além da distância física) para enxergar melhor os sentimentos e a de dizer tudo o que eu sinto em um pedaço de papel em linhas tortas.

gostaria de escrever sobre o próximo capítulo, o processo de readaptação e a decisão mais complicada que tomei nos últimos tempos – adiar um sonho não é fácil. da família conquistada pelo mundo e que, independente do tempo ou qualquer outra coisa, a amizade jamais vai mudar; sobre cidades (invisíveis?) visitadas, exploradas a pé e as quais me deixei perder um pouco de mim em cada esquina, só para ter que voltar para buscar – histórias de amor  e apego definitivo. sobre o aproveitamento do espaço público, o transporte, a educação e até a forma distante de tratamento na europa – com seus prós e contras. a conversa e o perdão concebido a uma amiga – hoje sem áspas – que reconheceu o seu erro e passou de lembrança ruim e mal acabada para uma página em branco de recomeço; sobre a falta que os meus pais fazem na minha quinta-feira com vinho, queijos e risadas; sobre o meu medo diário de voltar e não me adaptar; sobre como eu transformei um anúncio de oferta de um quarto em uma declaração de amor pela minha casa italiana.

são tantos assntos e tando textos dentro de mim que chegam a faltar palavras. assim, todos mal escritos, mas todos sinceros e cheio de assuntos nas entrelinhas.  são tantos sentimentos eque chega a dar medo de escrevê-los e torná-los insuficientes. mas acabo deixando tudo bagunçado no coração, que faz a limpa do que deve ir pro limbo ou para o setor mental. quem sabe um dia o tempo organiza o que ficou pelo não dito dentro das regras da gramática e da licença poética. é tudo excesso de amor; e sou dessas que me apego até mesmo aos textos que não terminei.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s